Conferência debate a saúde no município

Ligado .

 

‘Democracia e Saúde’, foi sobre esse lema que aconteceu a 12ª Conferência Municipal de Saúde de Rebouças. A reunião, que ocorre a cada quatro anos, tem como objetivo ouvir os anseios da população na área e definir a atuação da secretaria no futuro, “é um instrumento democrático da população que tem na conferência uma oportunidade de saber como anda a questão da saúde na nossa cidade mas também colaborar conosco para melhorarmos ainda mais”, explica a secretária de saúde, Tania Selhorst.

 

A conferência reuniu delegados de vários grupos da cidade, como bairros, localidades do interior, instituições, entre outras. Todo esse trabalho de base foi feito ao longo dos últimos meses, “fizemos 35 pré-conferências que reuniram mais de 800 pessoas para conseguirmos chegar aqui hoje e termos um dia realmente relevante para o município”, relata Tania.

 

O elo entre esses delegados da população com a secretaria é o Conselho Municipal de Saúde. Eva de Jesus Ruppel, presidente do conselho, aponta a necessidade de atividades como essa, “a saúde é questão complexa e são variadas as reivindicações da população, portanto, o trabalho tem que ser conjunto entre as diversas esferas da gestão e da sociedade”, comenta.

 

Mas a conferência teve momentos de aprendizado também. Na busca de levar uma maior reflexão acerca de saúde e cidadania, a palestrante Carolina Maia, enfermeira que atua há mais de 25 anos com desenvolvimento humano, levou seu conhecimento e experiência para a plateia, “é um momento importantíssimo para tratar dessas questões, ainda mais em evento que conta com a participação de pessoas das mais variadas áreas e classes sociais”, explica Carolina.


O prefeito Luiz Everaldo Zak fez a abertura do evento, em sua fala, destacou os desafios e as conquistas do município na questão da saúde, “trabalhamos diariamente para a melhoria da saúde em Rebouças, prova disso é a expansão da nossa frota de carros, a melhoria em nossas estruturas, a qualificação dos funcionários, mas sabemos que ainda temos um grande caminho a percorrer, mas com muita seriedade e força de vontade vamos atrás”.

População foi voz ativa durante a conferência